terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

A primeira saída!!!

Ontem foi a primeira vez que saí. O Y. já conhece várias coisas aqui em Luanda mas eu ainda não conheço nada.
Fomos jantar ao "Cais de 4"....um restaurante muito simpático, com uma vista fabulosa para a cidade de Luanda. Fantástico...jantar ao luar, mesmo em frente ao mar, com a brisa quente do inicio da noite a bater-nos na face. Como foi o primeiro jantar num restaurante em Angola, tinha que experimentar a lagosta. Por acaso não sou grande fã de mariscos, mas tinha mesmo que experimentar, acompanhada de um bom vinho branco bem freco. Como seria de esperar, o jantar foi carissimo, pagamos 178 dólares (2 pessoas)...mas cá começamos a habituar-nos a estes preços absurdos. A nossa vida em Angola não pode ser so trabalho e nós não queremos de forma nenhuma prescindir da nossa vida social. Foi uma noite fantástica e super agradavel. Chateia-me facto de andarmos com motorista...acabamos por não estar à vontade mas também será por pouco tempo.
Um facto muito engraçado foi que reparei numa loja comercial aqui em luanda que vende material hospitalar....até aí, tudo bem...na Tuga temos dessas lojas que vendem cadeiras de rodas, próteses, meias elasticas, etc´...o curioso é q na loja de cá vende camas de hospital, encubadoras...
Hoje foi dia de Carnaval e ofereceram-nos convites para assistir ao corso nas tribunas da avenida. Tinhamos que ir...queria, pela primeira vez, andar no meio de muita gente e também perceber como é vivido o carnaval por cá. Achei extremamente interessante, as mensagens que são transmitidas na escolha dos temas...p.e., a protecção da natureza, a problematica do lixo na cidade de Luanda. Gostei muito de observar a forma alegre como dançam e cantam e gostei, especialmente, das cores deste carnaval. Mas a cor é um facto predominante neste país, quer seja carnaval ou não...não é só a luminosidade da cidade com as vestes coloridas...o oposto das cores ténues ou escuras que utilizamos na Tuga. Aqui, há luz e cor pelas ruas. Ao passarmos no bairro da cuca, vimos uma quantidade enorme de gente a vender um pouco de tudo na rua: peixe, ovos, carne, artigos de higiene....encontra-se de tudo. Gostei de apreciar o movimento, o facto de em todo lado há grupos de pessoas nas ruas, a conviver, a beber e a comer o verdadeiro churrasco angolano.
Estou aqui há pouco mais de uma semana e só posso dizer que estou a gostar muito e que está a ser uma experiência muito interessante....tenho a certeza que ainda tenho muitas coisas boas para descobrir!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Cheguei!

Cheguei a Angola....com algumas horas de atraso.
Por enquanto nada me chocou mas também ainda vi muito pouco. Fomos ao Belas Shopping que sem duvida assemelha-se a qualquer shopping da europa a não ser o atendimento no supermercado e o facto de estarem imensas prateleiras vazias. Um facto curioso foi a pessoa que estava à minha frente na fila da caixa; à medida que a funcionaria da caixa passava os produtos, a cliente ia seleccionando no carrinho os que não ía levar para casa. Isto é, à medida que a conta ía aumentando a cliente ía ao carrinho e retirava os produtos que podia prescindir, colocando-os no chão. Mas isto tudo com muita calma, bem devagarinho... não vale a pena stressar, neste supermercado é tudo feito com muita calma.
Está a chover imenso o que em Angola significa caos para muita gente, a mim não me deve afectar em nada. Estou bem instalada, a casa tem boas condições e agora só falta arregaçar as mangas e começar a trabalhar.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

As primeiras despedidas...





Hoje, percebi realmente que a hora da despedida está chegar; como se costuma dizer, "Hoje caiu a ficha"... foi o ultimo dia de trabalho em terras lusitanas e começaram hoje as despedidas. Vou sentir muita falta dos meus colegas de trabalho...quando comecei nesta empresa, receberam-me de braços abertos, ajudaram-me imenso na adaptação e ouve uma empatia imediata entre todos. Sempre funcionamos como uma verdadeira equipa, onde sempre imperou o bom senso, o espirito de sacrificio, a honestidade, a frontalidade, a interajuda e também a amizade. Vou sentir muito a falta deles e dos nossos momentos de pura descontração e diversão (é que isto também não era so trabalho). A eles, deixo a minha homenagem e os meus votos de muito sucesso... porque o meu sucesso nunca será só meu...pois o meu sucesso dependeu, depende e dependerá sempre dos que me rodeiam.
Foi um prazer trabalhar com voçês.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Campanha FREE HUGS - Inspiradora

A campanha Free Hugs foi criada pelo Australiano Juan Mann. É uma iniciativa internacional de simpatia e já se realizou em cerca de 80 países, que mantém um princípio simples que é abraçar um desconhecido. Esta campanha tem como objectivo mostrar que o mundo dos desconhecidos não é assim tão mau. Esta é uma forma diferente de alegrar o dia de alguém. Concerteza se vivesse está experiência algum dia, chegaria a casa muito mais feliz!

"I'd been living in London when my world turned upside down and I'd had to come home. By the time my plane landed back in Sydney, all I had left was a carry on bag full of clothes and a world of troubles. No one to welcome me back, no place to call home. I was a tourist in my hometown.
Standing there in the arrivals terminal, watching other passengers meeting their waiting friends and family, with open arms and smiling faces, hugging and laughing together, I wanted someone out there to be waiting for me. To be happy to see me. To smile at me. To hug me.
So I got some cardboard and a marker and made a sign. I found the busiest pedestrian intersection in the city and held that sign aloft, with the words "Free Hugs" on both sides.
And for 15 minutes, people just stared right through me. The first person who stopped, tapped me on the shoulder and told me how her dog had just died that morning. How that morning had been the one year anniversary of her only daughter dying in a car accident. How what she needed now, when she felt most alone in the world, was a hug. I got down on one knee, we put our arms around each other and when we parted, she was smiling.
Everyone has problems and for sure mine haven't compared. But to see someone who was once frowning, smile even for a moment, is worth it every time."
Juan Mann

É amanhã....10 a 15 dias e estamos juntos em Luanda

São 22h56 e o Y já está a sobrevoar África.....só faltam algumas horas para o reencontro. Serão duas semanas bastante intensas: o Y a reencontrar os amigos e a família e eu a despedir-me. Começo a criar imensas expectativas em relação a Angola e ao novo emprego. Claro que não passarei as dificuldades do Y...tudo será mais fácil com ele a "abrir-me as portas" mas devo preparar-me para o choque. Não é só o facto de ser o país que é mas também o facto de ter que, obrigatoriamente, desabituar-me de todas as comodidades e facilidades do velho continente.
Bem, mas hoje é um dia muito feliz e nunca vale a pena perder tempo a sofrer por antecipação....

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Reencontro

Hoje é 2ª feira e o Y. ainda não tem a confirmação do voo. É suposto ele chegar a Portugal 5ª feira, mas começo a perder a esperança. Para complicar, 4ª feira é feriado em Angola e, por isso, já estou a ver o cenário.....o reencontro será adiado. Já só peço que chegue na 6ª ou no sabado...resumindo: Quanro mais cedo, melhor! Estou ansiosa por abraçá-lo, por ouvi-lo e olhar "olho no olho"! Continuo aguardar por boas notícias: a hora da aterragem.